• Tecnologia
  • Equipamento elétrico
  • Indústria de Materiais
  • Vida digital
  • política de Privacidade
  • Ó nome
Localização: Casa / Tecnologia / Especialistas do Comitê dos Direitos da Criança elogiam o Canadá pela Comissão de Audiência de Verdade e Reconciliação para Crianças Indígenas, fazem perguntas sobre crianças no tribunal e o “Princípio da Jordânia”

Especialistas do Comitê dos Direitos da Criança elogiam o Canadá pela Comissão de Audiência de Verdade e Reconciliação para Crianças Indígenas, fazem perguntas sobre crianças no tribunal e o “Princípio da Jordânia”

techserving |
985

O Comitê sobre os Direitos da Criança concluiu hoje sua análise do quinto e sexto relatório periódico combinado do Canadá, com especialistas do Comitê elogiando o Canadá sobre a Comissão de Audiência de Verdade e Reconciliação para Crianças Indígenas e levantando questões sobre crianças em tribunal e “Princípio da Jordânia” sobre serviços de apoio para crianças das Primeiras Nações.

Um especialista do Comitê disse que algumas das respostas da delegação foram particularmente alertas e encorajadoras, especialmente sobre a Comissão de Audiência da Verdade e Reconciliação para Crianças Indígenas.

Outro Especialista do Comitê perguntou por que as crianças precisavam ir ao tribunal para testemunhar e serem interrogadas? Por que os processos judiciais não foram incluídos nos centros de defesa de crianças e jovens? experiência em testemunhar em tribunais. Não havia razão para que testemunhos gravados em vídeo não pudessem ser usados ​​em vez de testemunhos em tribunal para crianças vítimas.

Ann Marie Skelton, Especialista do Comitê e Coordenadora da Força-Tarefa do Canadá, disse que o Canadá apresentou uma revisão do “Princípio de Jordan”, um princípio usado na legislação relativa à disponibilidade de serviços de apoio para crianças das Primeiras Nações. as conclusões desta revisão? Como o governo federal estava trabalhando para garantir que os serviços de apoio para crianças estivessem disponíveis em todas as províncias?

Respondendo a perguntas, a delegação disse que o Canadá tinha provisões de testemunho em seu Código Penal que permitiam que as vítimas prestassem depoimentos fora dos tribunais e na forma de desenhos. Os centros de defesa da criança ofereciam respostas coordenadas a casos de abuso infantil. Esses centros reduziu o trauma infantil minimizando as perguntas feitas às vítimas. Instalações separadas foram fornecidas para crianças nos tribunais, e o testemunho em vídeo foi a regra e não a exceção.

O “Princípio de Jordan” era um princípio baseado em solicitação que fornecia financiamento para crianças das Primeiras Nações residentes no Canadá. O Governo do Canadá estava trabalhando com as partes das Primeiras Nações para concluir os acordos finais o mais rápido possível. crianças que haviam sido removidas de suas casas pelo governo. Esses acordos buscavam estabelecer um caminho para a renovação do “Princípio da Jordânia”, para que nenhuma criança das Primeiras Nações enfrentasse uma barreira para serviços essenciais novamente.

Apresentando o relatório, Leslie Norton, Representante Permanente do Canadá no Escritório das Nações Unidas em Genebra, disse que o Canadá tomou medidas concretas para melhorar a vida das crianças e promover ainda mais os direitos das crianças. Essas medidas incluíram a criação do Canada Child Benefício de apoio a famílias de baixa renda; o estabelecimento de uma estrutura de educação infantil e cuidados infantis em todo o Canadá; investimentos em educação e outros serviços para crianças indígenas; e medidas para mitigar os impactos da pandemia de COVID-19. Havia mais trabalho a ser feito para garantir que todas as crianças no Canadá pudessem desfrutar de seus direitos plena e igualmente. O Estado continuaria trabalhando para melhorar a vida de todas as crianças no Canadá.

Em suas considerações finais, a Sra. Skelton disse que foi um diálogo intenso, com um enorme terreno percorrido. O Comitê ouviu falar sobre a legislação destinada a proteger a criança, bem como exemplos práticos. A Sra. Skelton agradeceu à delegação pelo diálogo construtivo.

Candice St. Aubin, vice-presidente da Agência de Saúde Pública do Canadá, agradeceu aos membros do Comitê por suas perguntas profundas e ponderadas. Durante o diálogo, a delegação se esforçou para destacar as principais mudanças ocorridas no Canadá na esfera dos direitos das crianças.Sra. St. Aubin disse que o Canadá via a Convenção como uma âncora para melhorar os direitos da criança em todo o país, nos níveis federal, territorial e provincial.

Mikiko Otani, Presidente do Comitê, disse que o diálogo foi desafiador devido ao limite de tempo de quatro horas.A Sra. Otani agradeceu a delegação do Canadá e disse esperar que o diálogo ajude o Estado na implementação da Convenção em todo o país.

A delegação do Canadá foi composta por representantes do Departamento de Justiça; a Agência de Saúde Pública do Canadá; Saúde Canadá; Emprego e Desenvolvimento Social; Relações Coroa-Indígenas e Assuntos do Norte, Assuntos Globais, Imigração, Refugiados e Cidadania; Serviços Indígenas; Segurança Pública; Estatisticas; Herança; e a Missão Permanente do Canadá junto ao Escritório das Nações Unidas em Genebra. A delegação também foi composta por representantes das Províncias e Territórios do Canadá, inclusive do Departamento de Justiça; o Ministério das Relações Internacionais e La Francophonie; e o Ministério da Justiça e o Procurador-Geral.

O Comitê emitirá suas observações finais sobre o relatório do Canadá no final de sua 90ª sessão em 3 de junho. Esses e outros documentos relacionados ao trabalho do Comitê, incluindo relatórios apresentados pelos Estados Partes, estarão disponíveis no

strong>página da sessão. Os resumos das reuniões públicas do Comitê podem ser encontrados aqui, enquanto os webcasts das reuniões públicas podem ser encontrados aqui.

A próxima reunião pública do Comitê será na quinta-feira, 19 de maio, às 9h, para concluir a consideração do segundo ao quarto relatório periódico combinado de Kiribati (CRC/C/KIR/2-4) .

Relatório

O Comitê tem diante de si o quinto ao sexto relatório periódico combinado do Canadá (CRC/C/CAN/5-6).

Apresentação do relatório

LESLIE NORTON, Representante Permanente do Canadá no Escritório das Nações Unidas em Genebra, disse que a delegação teve o prazer de discutir a implementação da Convenção sobre os Direitos da Criança pelo Canadá. Durante o período do relatório, o Canadá tomou medidas concretas para melhorar a vida das crianças e promover ainda mais os direitos das crianças. Essas medidas incluíram a criação do Benefício Infantil do Canadá para fornecer apoio às famílias de baixa renda; o estabelecimento de uma estrutura de educação infantil e cuidados infantis em todo o Canadá; investimentos em educação e outros serviços para crianças indígenas; e medidas para mitigar os impactos da pandemia de COVID-19.

O Canadá era um estado federal, onde o poder de implementar os direitos da criança era constitucionalmente dividido entre os governos federal, provincial e territorial. Os governos provinciais e territoriais foram encarregados de encontrar soluções locais para as preocupações locais, em colaboração com crianças e jovens, sociedade civil e representantes indígenas.

Havia mais trabalho a ser feito para garantir que todas as crianças no Canadá pudessem desfrutar de seus direitos plena e igualmente. O Canadá consultou as partes interessadas e detentores de direitos nas semanas anteriores ao diálogo e continuará a fazê-lo em nas semanas seguintes para abordar as observações finais do Comitê. O Estado continuaria trabalhando com esses grupos para melhorar a vida de todas as crianças no Canadá.

Perguntas de especialistas do comitê

Um especialista do Comitê perguntou sobre o progresso feito nas discussões relacionadas à reserva do Canadá à Convenção. O Canadá discutiu a possibilidade de concordar com os Protocolos Facultativos?

Foi aprovada uma lei que define os direitos dos povos indígenas. O Canadá também assumiu vários compromissos relacionados à implementação da Convenção. A delegação poderia fornecer mais informações sobre as ações do comitê intergovernamental encarregado de implementar a Convenção e o recursos que lhe foram fornecidos?

O Perito afirmou que foram feitos esforços para aumentar os dados sobre crianças, mas não foi estabelecido um sistema para coletar dados sobre crianças. Havia planos para fazer isso?

Não havia ombudsman no nível federal, embora houvesse ouvidores nos níveis regionais.O Estado Parte consideraria a criação de um ombudsman no nível federal para tratar dos direitos da criança?O que estava sendo feito para garantir uma maior conscientização sobre os direitos da criança?

Uma grande proporção de crianças vivia na pobreza no Canadá, e migrantes e povos indígenas foram desproporcionalmente afetados pela pobreza. O que estava sendo feito para acabar com essa desigualdade?

O Canadá anunciou que havia estabelecido um ombudsman de negócios, mas esse ombudsman parecia se concentrar no monitoramento de negócios no exterior. Esse ombudsman também monitorava atividades de negócios domésticos, especialmente aquelas relacionadas a crianças?

ANN MARIE SKELTON, Especialista do Comitê e Coordenadora da Força-Tarefa do Canadá, expressou preocupação com o alto número de nascimentos não registrados, particularmente em áreas com grande número de indígenas. Isso era um problema histórico ou atual? O que estava sendo feito? aumentar o registro de nascimento de índios?O serviço de recuperação de nomes indígenas foi utilizado?Os avós tinham o direito de passar a condição de índio para os netos?

Não havia uma estrutura legal específica para determinar a apatridia. Havia um plano para desenvolver uma legislação específica que definisse a apatridia?

Outro Especialista do Comitê disse que a legislação canadense autoriza o uso da força para punir uma criança. O Especialista pediu que esta legislação fosse revogada e que todas as formas de punição corporal fossem proibidas. Que medidas o governo tomou a esse respeito?

O Perito expressou preocupação com o fato de que o sistema de bem-estar infantil falhou em proteger mulheres e crianças contra a violência. O Governo implementou um processo baseado em gênero para avaliar a legislação. Esse processo foi usado para avaliar a legislação sobre violência contra crianças?

Houve uma variação considerável na violência contra crianças em diferentes regiões.Será que o Governo identificou os grupos de crianças de maior risco e reforçou a sua resposta contra o abuso de crianças?O Especialista elogiou a expansão dos centros de defesa de crianças e jovens. as crianças precisam ir ao tribunal para testemunhar e serem interrogadas? Por que os processos judiciais não foram incluídos nesses centros de defesa? O especialista citou uma carta recebida de uma criança vítima de abuso descrevendo sua experiência traumática testemunhando em tribunais. depoimentos gravados em vídeo não poderiam ser usados ​​em vez de depoimentos em tribunal para crianças vítimas.

A legislação canadense permitia o tratamento médico e cirúrgico de crianças intersexuais. O que o Estado estava fazendo para proteger crianças intersexuais de cirurgias irreversíveis?

O Canadá teve uma história sombria de institucionalização. Como o governo promoveu cuidados alternativos e garantiu que todas as crianças fossem tratadas igualmente em relação aos cuidados alternativos? Como o melhor interesse da criança foi determinado nas decisões de custódia? da família, excepto em último caso. Como foram assegurados os mecanismos de acompanhamento e de denúncia?

Quantas crianças com pais encarcerados viviam no Canadá? Como o Estado garantiu os direitos dessas crianças?

Respostas da Delegação

A delegação disse que o grupo de trabalho interdepartamental sobre leis e políticas relacionadas à criança promoveu a colaboração e a implementação de medidas relacionadas aos direitos da criança. Este era um grupo de trabalho e não tinha autoridade para exigir que os departamentos tomassem ações específicas. Houve apelos da sociedade civil para fortalecer o mandato do grupo de trabalho, e o Governo levou esses apelos a sério. Estava trabalhando para fortalecer sua colaboração com a sociedade civil a esse respeito.

O Canadá compartilhou a preocupação do Comitê com relação a jovens mantidos em instalações para adultos e alterou a legislação para proibir crianças de serem mantidas em centros de detenção para adultos. fossem acessíveis na região, ou se a segurança da criança tivesse sido ameaçada em um centro de detenção juvenil.

O Canadá continuaria a discutir sua reserva à Convenção.

A questão de saber se a seção 43 do Código Penal deveria ser revogada era controversa. Uma decisão de 2004 da Suprema Corte estipulou que a lei deveria permitir apenas punições físicas que não fossem severas e baniu a punição corporal nas escolas.

O Canadá tinha provisões de depoimentos em seu Código Penal que permitiam que as vítimas prestassem depoimentos fora dos tribunais e na forma de desenhos. Os centros de defesa da criança ofereciam respostas coordenadas a casos de abuso infantil. foram fornecidas instalações separadas para as crianças dentro dos tribunais, e o testemunho em vídeo era a regra e não a exceção.

O governo federal, bem como os governos provinciais e locais, tomaram medidas para implementar as recomendações do Comitê. Um fórum de ministros sobre direitos humanos foi formalizado em 2020 e os governos provinciais promoveram e conscientizaram ativamente sobre a Convenção .

Os governos estavam comprometidos com a proteção dos direitos da criança por meio de leis, políticas e outras iniciativas. A maioria dos territórios estabeleceu provedores independentes de crianças. Esses provedores fizeram recomendações aos respectivos governos. Um membro do governo federal foi encarregado de reduzir a pobreza e coordenar esforços dos governos provinciais e territoriais para atingir esse objetivo. Os governos em todos os níveis estão alocando recursos significativos para promover os direitos das crianças. A taxa de pobreza infantil diminuiu de 16% para 4% nos últimos anos. redução da pobreza infantil.

O Canadá estava investindo no aprimoramento das estatísticas sobre a coleta de dados, particularmente sobre a saúde e o bem-estar de crianças com deficiência e crianças indígenas. Um censo de crianças estava sendo realizado. melhorando os padrões de dados, e a pesquisa estava em andamento para garantir a relevância dos dados.

O Canadá não estava considerando a ratificação do Protocolo Facultativo à Convenção sobre os Direitos da Criança sobre um procedimento de comunicações neste momento. A ratificação exigia extensas consultas e recursos financeiros, e o Canadá estava atualmente considerando a ratificação de outras convenções internacionais.

O ombudsman empresarial também monitorou as atividades comerciais domésticas que afetavam as crianças.

O governo de Quebec estava trabalhando para proteger as crianças do cibercrime. Havia uma legislação que estabelecia o melhor interesse da criança.

A Comissão de Verdade e Reconciliação pediu a criação do Conselho de Reconciliação Nacional, que implementaria os apelos à ação da Comissão. O Governo do Canadá lançou um plano de ação nacional para acabar com a violência contra mulheres e meninas indígenas. plano focado em bem-estar, segurança humana e proteção. O governo estava se envolvendo com parceiros indígenas para estabelecer um órgão de supervisão para monitorar essas ações.

O governo estava empenhado em trabalhar com as comunidades para reformar o mecanismo de financiamento das Primeiras Nações para reduzir a discriminação e garantir que as crianças indígenas tivessem acesso aos serviços do Estado. O Canadá triplicou o financiamento de programas de apoio a grupos indígenas. As necessidades e preferências das crianças foram levadas em consideração em conta ao determinar os melhores interesses da criança. A colocação de crianças priorizou a família e a comunidade.

O governo reconheceu que as versões anteriores da Lei Indígena discriminavam o registro de mulheres indígenas.

O Governo continuou empenhado em apoiar os pais encarcerados, inclusive por meio de programas não residenciais para cuidar de crianças.Se as famílias não pudessem visitá-las pessoalmente, as visitas por vídeo eram permitidas.Mães e crianças eram mantidas juntas quando apropriado e com consideração especial foi feito para mães indígenas. As mães podiam ter filhos com elas o tempo todo até os cinco anos de idade.

A Lei da Cidadania concedia cidadania a crianças apátridas que residissem no Canadá por três anos.O Canadá estava comprometido em combater a apatridia.Indivíduos poderiam solicitar proteção de refugiado se tivessem sofrido perseguição.O Canadá apoiou o trabalho dos Estados Unidos Campanha “I Belong” do Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados, que visa acabar com a apatridia até 2024.

Crianças canadenses podem acessar informações sobre direitos humanos por meio de uma plataforma online. Comissões regionais de direitos humanos publicaram informações sobre direitos humanos, incluindo os direitos das crianças.

O governo da Nova Escócia estava se preparando para coletar dados baseados em raça para melhorar a equidade na assistência médica. Fornecer dados sobre raça seria opcional e seria usado para melhorar as políticas que promovem a equidade.

O governo federal havia analisado os riscos para as crianças com o objetivo de aprimorar a legislação de proteção à criança.

Os pais podem atualmente consentir com a cirurgia corretiva para crianças intersexuais. No entanto, o governo está considerando a introdução de legislação para evitar que as crianças sejam submetidas a cirurgias corretivas irreversíveis, sem exceção.

Perguntas de especialistas do comitê

Um especialista do Comitê perguntou como uma decisão da Suprema Corte de 2004 afetou a legislação sobre punição corporal. Por que o governo não estava disposto a proibir a punição corporal?

O Canadá considerou introduzir os princípios do devido processo nos centros de defesa de crianças, para que as crianças pudessem concluir sua participação em processos judiciais o mais rápido possível e se concentrar na cura?

ANN MARIE SKELTON, especialista do comitê e coordenadora da força-tarefa do país para o Canadá, disse que o Canadá apresentou uma revisão do "Princípio de Jordan", um princípio usado na legislação relativa à disponibilidade de serviços de apoio para crianças das Primeiras Nações. as conclusões desta revisão? Como o governo federal estava trabalhando para garantir que serviços de apoio para crianças estivessem disponíveis em todas as províncias?

O COVID-19 teve impacto na saúde mental dos adolescentes e o que foi feito em resposta a isso?

Especialistas do Comitê dos Direitos dos the Child elogiam o Canadá pela Comissão de Audiência de Verdade e Reconciliação para Crianças Indígenas, fazem perguntas sobre crianças no tribunal e o “Princípio de Jordan”

Sra. Skelton elogiou o fato de o direito à moradia ter sido consagrado na lei. Que estratégias foram implementadas para reduzir a falta de moradia infantil, principalmente para crianças indígenas?

Ela também elogiou o trabalho feito para garantir água potável. Que soluções sustentáveis ​​foram implementadas para garantir o acesso contínuo à água potável no futuro?

Que medidas estavam sendo tomadas para consultar as crianças sobre os regulamentos de energia? O que estava sendo feito para apoiar o acesso das crianças à justiça?

Sra. Skelton afirmou que havia cerca de 25 crianças canadenses em campos no norte da Síria. O que estava sendo feito para repatriar essas crianças?

Ela também reiterou seu apelo para que o Canadá ratifique o terceiro Protocolo Facultativo, argumentando que a ratificação deste Protocolo em um procedimento de comunicação não deve ser um processo caro.

Outro Especialista do Comitê disse que muitas crianças dependiam de atividades de arrecadação de fundos para pagar as taxas escolares, e as taxas afetavam adversamente as crianças nas faixas socioeconômicas mais baixas. Que políticas estavam em vigor para apoiar as crianças no acesso à educação secundária?

O Especialista reconheceu que o Canadá fez mais do que a maioria dos Estados para promover a reconciliação. Todas as escolas residenciais para indígenas foram abolidas?

O que o Estado estava fazendo para incentivar a atividade física ao ar livre?

O especialista expressou preocupação com as crianças em centros de imigração e pediu ao Canadá que pare de deter crianças com familiares nesses centros e pare de liberar crianças de centros de detenção apenas com um dos pais. O número de crianças nesses centros de imigração estava aumentando, e houve alguns casos em que crianças detidas eram cidadãs canadenses cujos pais residiam irregularmente no estado.

O Canadá consideraria ratificar a Convenção contra a Tortura e Outros Tratamentos ou Penas Cruéis, Desumanos ou Degradantes?

Quais proteções estavam disponíveis para crianças para evitar a exploração no mercado de trabalho?Que proteções estavam sendo fornecidas para crianças sem-teto?Houve casos em que crianças sem-teto foram exploradas sexualmente.Quais medidas foram tomadas para apoiar a reintegração de crianças encarceradas na sociedade ?

Outro especialista do Comitê disse que as pessoas com deficiência têm menos probabilidade de frequentar a universidade. Que barreiras existem para pessoas com deficiência obterem educação superior e o que está sendo feito para resolvê-las? serviços para crianças com deficiência? A delegação poderia fornecer detalhes sobre os esforços para melhorar os dados sobre pessoas com deficiência no Canadá?

Respostas da Delegação

A delegação disse que as taxas de suicídio no Canadá permaneceram estáveis ​​nos últimos dois anos e eram três vezes maiores entre os homens do que entre as mulheres. Embora as taxas tenham permanecido estáveis, elas aumentaram entre as mulheres de 12 a 24 anos. os estados federais visavam a redução da estigmatização e a sensibilização. Esforços estavam a ser feitos para garantir o acesso a apoios, e estavam a ser investidos fundos no centro de toxicodependência e saúde mental, com vista a manter um serviço de prevenção do suicídio. ofereceu apoio aos jovens em caso de crise. O Governo planeou fornecer subsídios a vários centros de saúde ou de socorro que prestavam serviços a jovens.

A saúde mental dos jovens de 18 anos ou menos foi afetada pela pandemia. Várias medidas foram tomadas para lidar com essas questões, incluindo um plano de ação para a saúde mental. As instalações do espaço aberto foram abertas e funcionariam como um balcão único, com enfermeiras à disposição para oferecer soluções aos jovens. Atualmente, eles estão abertos em cinco cidades, com o objetivo geral de abrir os Centros Abertos em todo o Quebec. Quebec também investiu em fornecer mais capacidade de apoio psicológico para atender a escassez de psicólogos.

Saskatchewan estava empenhada na prevenção do suicídio e implementou o plano de prevenção do suicídio “Pilares para a Vida”. A saúde mental das crianças foi reconhecida como uma prioridade, tendo sido lançada uma campanha nas redes sociais, com informação sobre a prevenção do suicídio.Saskatchewan tinha assinaram uma carta de compromisso de trabalhar para lidar com as taxas de suicídio em comunidades indígenas.

O Código Penal do Canadá continha várias disposições para proteger testemunhas menores de 18 anos. O financiamento fornecido pelo governo para centros de defesa da criança foi usado para contratar apoio para crianças em processos criminais.A estrutura de direitos humanos do Canadá fornecia forte proteção contra discriminação.O Canadá adotou medidas concretas para enfrentar a não discriminação e apoiar a igualdade substantiva.Foram tomadas medidas significativas para proteger as pessoas transgênero do assédio e da violência.Foi adotada uma legislação que proibiu qualquer tratamento destinado a mudar a orientação sexual de uma pessoa para heterossexual.

O Canadá continua aberto a ratificar o terceiro Protocolo Opcional sobre comunicações, disse a delegação. Este é um mecanismo importante para as crianças como titulares de direitos. A ratificação no Canadá foi um processo que envolveu consultas entre muitas partes interessadas.

O Governo do Canadá fechou sua embaixada em Damasco em 2012 e não tinha presença diplomática na Síria, dificultando a obtenção de informações no local. O Governo estava ciente de relatos de que as condições de saúde dentro dos campos eram precárias e estava preocupado com as condições que as crianças enfrentavam lá dentro. No entanto, dada a falta de presença no terreno, a capacidade de prestar assistência às crianças canadenses na Síria era limitada.

O Canadá reconheceu o papel fundamental da brincadeira no desenvolvimento das crianças, disse a delegação.O sistema educacional do Canadá oferece várias oportunidades para brincar, no dia escolar e no âmbito de atividades extracurriculares.Em resposta ao COVID-19, a Colúmbia Britânica estabeleceu programas para apoiar a saúde mental dos jovens, incluindo um novo investimento de três anos. Escolas inclusivas forneciam um ambiente de aprendizagem acessível para todas as crianças, incluindo aquelas com deficiência. Diversidade e inclusão estavam no centro da identidade do Canadá, e mais precisava ser feito para esteja ciente da história de todos os canadenses, incluindo canadenses racializados.

A prisão preventiva no Canadá foi usada apenas como último recurso.Foram feitas emendas à lei que proibia que jovens fossem detidos sob custódia.Governos provinciais e territoriais forneceram apoio a jovens encarcerados e àqueles que deixaram o encarceramento.Jovens as pessoas foram supervisionadas por um grupo de funcionários domésticos e aprenderam habilidades culinárias, orçamentárias e de gerenciamento de tempo.

Em 2019, o Canadá introduziu uma estratégia nacional de habitação, reconhecendo o direito de todo canadense a uma moradia adequada, segura e acessível. A estratégia nacional de habitação identificou grupos populacionais mais vulneráveis, reconhecendo que mulheres com filhos eram mais afetadas proporcionalmente por necessidades habitacionais. Mais de 6 bilhões de dólares foram comprometidos com esta estratégia.

A estratégia dos sem-teto do Canadá era um programa baseado na comunidade destinado a prevenir e reduzir os sem-teto em todo o país. A meta da estratégia nacional de habitação era eliminar os sem-teto até 2027/2028. Havia vários programas diferentes em todos os níveis do governo para apoiar a educação de crianças com deficiência e remover barreiras.

A delegação disse que o Canadá fez progressos nos dados para jovens e crianças com deficiência. Foi realizada uma pesquisa sobre o bem-estar das crianças, que seria repetida em 2023. O Canadá planejou fornecer informações anuais sobre atividades laborais de jovens com deficiência deficiências.A pesquisa de saúde e bem-estar infantil de 2023 incluiria informações sobre COVID-19 e saúde mental.O Canadá estava desenvolvendo uma estratégia de saúde pan-canadense que era uma colaboração entre os governos federais e as províncias para harmonizar os padrões de dados.

A legislação exigia avaliação contínua sobre quais países eram considerados seguros, quando se tratava de imigração, e o Canadá estava satisfeito com o fato de os Estados Unidos continuarem sendo um terceiro país seguro. O Canadá tinha um sistema de saúde generoso que oferecia uma miríade de serviços gratuitos de aos cidadãos e residentes. Os indocumentados tinham acesso gratuito aos serviços de emergência e os serviços não urgentes eram gratuitos para aqueles que estavam no país há mais de seis meses.

A presente lei garantiu que as crianças tivessem direitos, independentemente do seu estatuto migratório, e garantiu que todas as crianças tivessem acesso à educação pública.

O “Princípio da Jordânia” era um princípio baseado em solicitação que fornecia financiamento para crianças das Primeiras Nações residentes no Canadá. O Canadá estava implementando o “Princípio da Jordânia” para garantir que todas as crianças das Primeiras Nações tivessem acesso a produtos e serviços que atendessem às suas necessidades. O governo do Canadá estava trabalhando com as partes das Primeiras Nações para concluir os acordos finais de acordo o mais rápido possível. Isso incluía 20 bilhões de dólares para crianças que foram removidas de suas casas pelo governo. Esses acordos buscavam estabelecer um caminho a seguir para o “Princípio da Jordânia ” renovação, para que nenhuma criança das Primeiras Nações enfrentasse uma barreira para serviços essenciais novamente. Havia 33 avisos de água potável de longo prazo restantes em comunidades no Canadá, com trabalho em andamento para resolvê-los.

O governo reconheceu que eram necessárias melhorias para fornecer moradia segura e acessível às comunidades indígenas. As reivindicações de terras inuit estavam focadas em atender às necessidades de moradia para crianças e garantir que as necessidades fossem atendidas de maneira cultural e responsável. A delegação disse que todos As escolas residenciais indianas que retiraram as crianças indianas de suas famílias e cultura foram fechadas. O Canadá lamentou essa parte vergonhosa de sua história e se comprometeu a trabalhar pela restituição, inclusive por meio de programas de cura, para abordar o impacto intergeracional dessas escolas.

Respondendo a perguntas sobre a mudança climática, a delegação disse que o Canadá acredita que as gerações atuais não devem poupar esforços para agir agora para lidar com as ramificações da mudança climática. O Canadá está comprometido em educar as crianças e levar em consideração sua perspectiva quando se trata de desenvolvendo políticas de combate às mudanças climáticas e ao meio ambiente. O governo do Canadá esteve prestes a lançar o conselho jovem sobre mudanças climáticas, com o objetivo de assessorar os desafios e as perspectivas dos jovens.

O programa de detenção de imigrantes do Canadá foi realizado com salvaguardas e os direitos dos detidos garantidos.O Canadá se comprometeu a limitar o uso da detenção, apenas em casos de expectativa, como risco de fuga, ou quando a pessoa era um perigo para o público. A Cruz Vermelha Canadense monitorou de forma independente as condições de detenção, para garantir o alinhamento com a legislação nacional. Em 2019, novas emendas regulamentares foram introduzidas para aprimorar o melhor interesse da criança no processo de refugiado. A Cruz Vermelha Canadense foi notificada se um menor foi detido sem pais, sendo então determinado se seria realizada uma visita de acompanhamento.

O Governo do Canadá estava comprometido com a proteção das crianças contra todas as formas de exploração e abuso.Lidar com as vítimas do tráfico humano era uma responsabilidade compartilhada entre todos os níveis de governo.Em 2021, o Governo do Canadá forneceu fundos para o Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime para trazer novas ideias sobre como a tecnologia pode combater o tráfico humano. Esta também foi uma oportunidade para ensinar os jovens sobre seus direitos sob a Convenção.

Quebec fez do combate à exploração sexual de crianças uma prioridade do governo. Um plano de ação foi desenvolvido em 2021 intitulado 'Breaking Sexual Violence'. Foi realizada uma campanha de comunicação nacional que foi divulgada em várias plataformas, com o objetivo de conscientizar os jovens e seus pais em torno das armadilhas da exploração sexual. Para aumentar a capacidade de análise e intervenção das autoridades, mais recursos foram mobilizados para as autoridades.

A delegação disse que o Canadá não experimentou um aumento significativo nos casos de HIV entre os jovens, e esse número permaneceu estável na faixa etária de 15 a 19 anos. As taxas relatadas de clamídia, gonorréia e sífilis aumentaram nessa mesma faixa etária. Um Comitê foi estabelecido para responder às crescentes taxas de sífilis no Canadá. A pandemia de COVID-19 exacerbou a saúde mental dos canadenses, principalmente crianças e jovens, e programas foram implementados para apoiar os jovens. O serviço de prevenção ao suicídio do Canadá ofereceu suporte disponível por telefone para qualquer pessoa no Canadá, 24 horas por dia, 7 dias por semana.

Perguntas de especialistas do comitê

ANN MARIE SKELTON, Especialista do Comitê e Coordenadora da Força-Tarefa do País para o Canadá, perguntou se as crianças poderiam levar casos ao tribunal para contestar a constitucionalidade das leis? Haveria alguma barreira em seu caminho para fazer isso? Sra. Skelton agradeceu à delegação por sua resposta revigorante ao terceiro Protocolo Opcional, dizendo que o Comitê aguardaria os desenvolvimentos a esse respeito.

Um especialista do Comitê disse que algumas das respostas da delegação foram particularmente alertas e encorajadoras, especialmente sobre a comissão de audiência de reconciliação da verdade para crianças indígenas. Ainda havia preocupação com os menores serem julgados e condenados como adultos. têm acesso à justiça juvenil tanto na fase de julgamento quanto na fase de condenação. O confinamento solitário para crianças ainda estava sendo usado? O Canadá tinha um sistema de registro para todas as crianças na fronteira? chegar em um estado traumatizado; havia como garantir seus direitos e oferecer atendimento especializado?

Um especialista do Comitê disse que não estava totalmente claro como a estratégia nacional de habitação abordava as necessidades das famílias com deficiência. A delegação poderia detalhar isso?

Um especialista do comitê perguntou como as populações sem água potável estavam lidando? Como os produtos básicos estavam sendo fornecidos? foram tomadas medidas para respeitar os princípios de preservação da cultura das crianças indígenas nesses centros? Foi acionado um mecanismo de acompanhamento quando uma criança foi colocada em uma família de acolhimento? O Perito observou que houve casos de agressão sexual em escolas esportivas, perguntando o que estava sendo feito para evitar que essas situações surgissem em primeiro lugar?

Outro Especialista do Comitê perguntou o que acontecia quando jovens em situação irregular precisavam de cuidados de saúde antes de terminarem seus primeiros seis meses no Canadá? uma instituição nacional de monitoramento de locais onde crianças foram privadas de liberdade?

Um Especialista do Comitê disse que o ombudsman se concentrou apenas em investigações internacionais, perguntando o que estava em vigor para defender e refletir uma conduta empresarial responsável?A implementação de diferentes estratégias, incluindo a luta contra a pobreza e o acesso à moradia, foi coordenada?O Canadá engajar-se em um programa de reflexão sobre punição corporal?

Respostas da Delegação

O Canadá tinha uma estrutura federal para a prevenção do suicídio, que complementava o importante trabalho em todo o Canadá nas comunidades indígenas, olhando para todo o país dentro de uma estrutura completa e abrangente.

O Canadá tomou medidas para promover a parentalidade positiva. Muitas províncias e territórios têm legislação que prevê a nomeação de advogados para crianças, disse a delegação.

Sentenças de adultos podem ser impostas a jovens, nos casos mais raros e excepcionais de ofensa em série.Governos provinciais e territoriais estavam trabalhando para limitar o tempo de segregação para jovens.Em 2017, na Colúmbia Britânica, os regulamentos de custódia de jovens foram alterados e as solitárias o confinamento foi proibido.

Em todas as comunidades onde havia problemas de abastecimento de água potável, água engarrafada foi fornecida e uma resposta rápida foi fornecida. A continuidade cultural foi uma consideração importante quando se tratava de crianças sob cuidados.

O Canadá estava considerando a adesão ao terceiro Protocolo Facultativo, e os governos federal e territorial continuaram a se envolver em consultas. Progressos significativos foram feitos e o Canadá continuou a levar o processo a sério.

Relativamente à situação das escolas secundárias, a delegação disse não poder pronunciar-se sobre processos que correm actualmente nos tribunais.

Quando as crianças eram acolhidas, tanto a criança quanto os pais recebiam assistentes sociais e serviços designados durante todo o período de acolhimento, para garantir que as necessidades sociais, de saúde e educacionais fossem atendidas.

O governo do Canadá estava preocupado com os danos relacionados ao uso de substâncias. Uma nova posição ministerial foi criada em resposta a isso. O governo continuou a tomar medidas para ajudar as pessoas que usavam substâncias por meio de medidas públicas de educação, prevenção e tratamento .Embora os jovens não fossem o grupo demográfico mais impactado, a abordagem visava garantir que todos pudessem ter acesso ao apoio de que precisavam.Foi criado um fundo que fornecia treinamento para profissionais de saúde e financiava iniciativas que aumentavam a conscientização sobre os efeitos das substâncias na saúde.An em 2017 foi lançada uma campanha interativa que visava informar os alunos do ensino secundário sobre os opiáceos.

Respondendo a perguntas sobre cuidados de saúde para refugiados no Canadá, a delegação disse que o Canadá oferece acesso total a cuidados de saúde, incluindo apoio à saúde mental, para todos os refugiados que chegam ao Canadá, incluindo os da Ucrânia. Uma extensa rede de organizações de assentamento foi financiada para prestar serviços aos refugiados que chegassem ao Canadá. Qualquer indivíduo indocumentado que estivesse no Canadá há menos de seis meses poderia ir a qualquer sala de tratamento e receber assistência médica lá, com tratamento fornecido de maneira confidencial.

O melhor interesse da criança sempre foi levado em consideração em casos de despejos.Todas as tentativas foram feitas para lidar com os aluguéis em atraso antes de considerar um despejo.Em relação à Estratégia Nacional de Habitação, a delegação disse que a estratégia priorizava programas que incluíam acesso para deficientes .O Canadá adotou uma abordagem governamental completa para lidar com a pobreza e os desafios sociais relacionados e garantir uma abordagem consistente com os princípios dos direitos humanos e focada na prevenção. Isso estava de acordo com a meta das Nações Unidas de acabar com a pobreza.

A taxa de pobreza foi reduzida pela metade para as crianças canadenses, e havia várias dimensões em jogo.Alguns tipos de família eram mais vulneráveis ​​à pobreza, assim como as pessoas com deficiência.

O Canadá adotou uma abordagem federal para implementar a Convenção, que envolveu a cooperação de vários mecanismos.

Comentários finais

ANN MARIE SKELTON, Especialista do Comitê e Coordenadora da Força-Tarefa do Canadá, disse que foi um diálogo intenso, com um enorme terreno percorrido. O Comitê ouviu falar sobre a legislação destinada a proteger a criança, bem como exemplos práticos. entendeu-se que muito havia sido feito, porém, ainda havia trabalho a ser feito.Sra. Skelton agradeceu à delegação pelo diálogo construtivo.

CANDICE ST. AUBIN, vice-presidente da Agência de Saúde Pública do Canadá, agradeceu aos membros do Comitê por suas perguntas profundas e ponderadas. Durante o diálogo, a delegação se esforçou para destacar as principais mudanças ocorridas no Canadá na esfera dos direitos da criança .EM. St. Aubin disse que as divisões constitucionais de poder do Canadá ofereciam uma oportunidade única para a implementação da Convenção. Embora não sem desafios, encorajou todos os governos a trabalharem juntos para defender os direitos das crianças. O Canadá pretendia continuar trabalhando para melhorar as estratégias existentes e desenvolver novas para atender às necessidades de cada criança. O Canadá viu a Convenção como uma âncora para melhorar os direitos da criança em todo o país, nos níveis federal, territorial e provincial.

MIKIKO OTANI, Presidente do Comitê, disse que o diálogo foi desafiador devido ao limite de tempo de quatro horas.A Sra. Otani agradeceu a delegação do Canadá e disse esperar que o diálogo ajude o Estado na implementação da Convenção em todo o país. Ela concluiu desejando felicidades às crianças do Canadá.

Link: https://www.ungeneva.org/en/news-media/meeting-summary/2022/05/examen-du-rapport-du-canada-par-le-comite-des-droits-de -lenfant

___________

Produzido pelo Serviço de Informação das Nações Unidas em Genebra para uso da mídia de informação;
não é um registro oficial. As versões em inglês e francês de nossos lançamentos são diferentes, pois são o produto de duas equipes de cobertura separadas que trabalham de forma independente.